fbpx

Entrar

Atas do DEPECO

ATA ASSEMBLÉIA ABRIL 2000

ATA DAS ASSEMBLÉIAS GERAISEXTRAORDINÁRIAS E ORDINÁRIAS DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA, REALIZADA EM RECIFE (PE) NO DIA 27 DE ABRIL DE 2000, DURANTE O XII CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. ÀS 19:30 HORAS DO DIA 27 DE ABRIL DE 2000, APÓS SEGUNDA CONCOVAÇÃO, DR. ALVÁRO VILLELA DE MORAES, PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA DEU POR INICIADA A ASSEMBLÉIA EXTRAORDINÁRIA DO DEPARTAMENTO. PARA O SEU INÍCIO FORAM CONVOCADOS OS DEMAIS MEMBROS DA DIRETORIA A SUBIR: DR. DJAIR BRINDEIRO (VICE-PRESIDENTE); DR. FRANCISCO CHAMIÉ (SECRETÁRIO); DR. SERGIO CUNHA PONTES JR.(TESOUREIRO); DR. CAIO CESAR JORGE MEDEIROS (EDITOR DA REVISTA DO DEPARTAMENTO) E DR. LUCIANO HERMAN JOAÇABA BELÉM (EDITOR DA REVISTA DE VIDEO) PARA COMPARECER A MESA. DEVIDO A AUSÊNCIA DO DR. FRANCISCO CHAMIÉ, DR. SERGIO PONTES JR. FOI DESIGNADO PARA SECRETARIAR OS TRABALHOS. INICIOU-SE OS TRABALHOS DA ASSEMBLÉIA EXTRAORDINÁRIA PELA LEITURA DA ATA DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS EXTRAORDINÁRIA E ORDINÁRIA.REALIZADAS POR OCASIÃO DO XI CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DA SOCIEDADE BRASILERIA DE CARDIOLOGIA, EM BELO HORIZONTE,(MG), NO DIA 30 DE ABRIL DE 1999. APÓS SUA LEITURA, FORAM APROVADAS POR UNANIMIDADE PELO PLENÁRIO. A SEGUIR FOI COLOCADA EM PAUTA A CRIAÇÃO DA COMISSÃO CIENTÍFICA PERMAMENTE DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA, POR MEIO DE ALTERAÇÃO DO ESTATUTO. DISCUTIU-SE IMEDIATAMENTE AS COMPOSIÇÕES DOS MEMBROS DESTA COMISSÃO, TENDO SIDO SUGERIDO PELO PRESIDENTE, DR. ALVARO VILLELA DE MORAES, QUE FOSSE CONSTÍTUIDA POR DOZE MEMBROS COMPOSTO POR EX-PRESIDENTE DO CONGRESSO, DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA E DAS COMISSÕES CIENTÍFICAS DOS CONGRESSOS DO DEPARTAMENTO. DISCUTIU-SE, EM SEGUIDA, A NECESSIDADE DE SE DEFINIR PREVIAMENTE AS ATRIBUIÇÕES DESTA COMISSÃO. DR. SERGIO PONTES SUGERIU QUE UMA, DENTRE DAS, FOSSE A DE COORDENAR A TRANSIÇÃO ENTRE DUAS DIRETORIAS SUCESSIVAS, DE MODO A DAR CONTINUIDADE ÀS ATIVIDADES CIENTÍFICAS INICIADAS NAS GESTÃO ANTERIOR. DR. ALVARO VILLELA DE MORAES OPINOU QUE A COMISSÃO CIENTÍFICA DEVERIA COORDENAR TODAS AS ATIVIDADES CIENTÍFICAS DO DEPARTAMENTO DE ECOCARIOGRAFIA. DR. WASHINGTON BARBOSA DE ARAÚJO INSISTIU QUE ESSAS ATRIBUIÇÕES FOSSEM ESTABELECIDAS ANTES DA CRIAÇÃO DA COMISSÃO. DR. JORGE TORREÃO SUGERIU QUE A COMISSÃO NÃO DEVERIA INTERFERIR NA GESTÃO DA DIRETORIA ELEITA. DRA. MÁRCIA BARBOSA LEMBROU QUE A COMISSÃO JÁ HAVIA SIDO INSTITUIDA NO ÚLTIMO CONGRESSO DO DEPARTAMENTO, SEDIADO NA BAHIA, NÃO TENDO PORÉM ENTRADO EM ATIVIDADES; REFERIU-SE AO MODELO ACLOPADO COM SUCESSO PELA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA, QUE PODERIA SER TAMBÉM ADOTADO NO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA; QUANTO AS DECISÕES DA DIRETORIA; OPINOU AINDA QUE UMA VEZ ESTABELECIDA, A COMISSÃO DEVERIA SEGUIR UM CRONOGRAMA REGULAR DE REUNIÕES. DR. DJAIR BRINDEIRO ALERTOU PARA O FATO DA COMISSÃO CIENTÍFICA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA TER TENTADO INTERFERIR NAS DECISÕES DO XII CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA, E SEGUNDO ELE, OS MEMBROS DA COMISSÃO CIENTÍFICA DO DEPARTAMENTO PODERIAM SER ESCOLHIDO PELO PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO, SEM QUE HOUVESSE A NECESSIDADE DE APROVAÇÃO EM ASSEMBLÉIA. A SEGUIR, DR. WASHINGTON BARBOSA DE ARAÚJO PROPÕE QUE O DE NÃO INTERFERIR NAS DECISÕES DA PRESIDÊNCIA. DR. JUAREZ ORTIZ RATIFICOU QUE O PRESIDENTE PODE PROPOR MAS NÃO CRIAR COMISSÕES E QUE NO MOMENTO ENCONTRAVA-SE EM DISCUSSÃO A CRIAÇÃO DA COMISSÃO DA CIENTÍFICA PERMANENTE. DR. DJAIR BRINDEIRO CONCORDOU COM AS OPINIÕES EMITIDAS PELO DR. JUAREZ ORTIZ ENFATIZANDO QUE DEVER-SE-IA VOTAR PRIMEIRAMENTE A CRIAÇÃO DA COMISSÃO E POSTERIORMENTE DIVIDIR-SE SUA COMPOSIÇÃO E ATRIBUIÇÕES. DR. ALVARO VILLELA DE MORAES COLOCOU PRIMEIRAMENTE EM VOTAÇAO A CRIAÇÃO DA COMISSÃO, TENDO HAVIDO 35 VOTOS FAVORÁVEIS E 23 CONTRÁRIOS. A SEGUNDA PROPOSTA A SER VOTADA SERIA A DE QUE A COMISSÃO FOSSE CONSTÍTUIDA PELOS ANTIGOS PRESIDENTES DO DEPARTAMENTO, DO CONGRESSO E DAS COMISSÕES CIENTÍFICAS DOS CONGRESSOS. DR. WILSON MATHIAS SUGERIU QUE OS PRESIDENTES DO DEPARTAMENTO FOSSEM EXCLUÍDOS, PERMANECENDO COMO ELEGÍVEIS OS PRESIDENTES DE CONGRESSOS E COMISSÕES CIENTÍFICAS DE CONGRESSOS. DR. LUIS FERNANDO SALAZAN APOIOU AS PALAVRAS DE DR. WILSON MATHIAS ENFATIZANDO QUE CASO OS PRESIDENTES DO DEPARTAMENTO FOSSEM MANTIDAS, HAVERIA UM NÚMERO EXCESSIVO DE PARTICIPANTES NA COMISSÃO. DRA. PAULA PIMENTEL SUGERIU QUE PARTICIPASSEM DA COMISSÃO OS TRÊS ÚLTIMOS DE CONGRESSOS E COMISSÕES CIENTÍFICAS DE CONGRESSOS. ESTA ÚLTIMA PROPOSTA FOI ACEITA E COLOCADA EM VOTAÇÃO, TENDO RECEBIDO A MAIORIA DOS VOTOS DOS PRESENTES. UMA VEZ APROVADA A COMISSÃO CIENTÍFICA PERMANENTE, ESTA PASSOU A SER CONSTÍTUIDA PELOS:DRS. FERNANDO SANTANA MACHADO, MARIA BARBOSA, HELDER PALPÉRIO, DJAIR BRINDEIRO E ROBERTO PEREIRA, DR. JUAREZ ORTIZA DRA. PAULA PIMENTEL SUGERIU, A SEGUIR, QUE ESTA COMISSÃO FOSSE A REPRESENTANTE DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGAFIA JUNTO A SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA, CONTRIBUINDO PARA O PLANEJAMENTO DOS CONGRESSOS BRASILEIROS DE CARDIOLOGIA E ESTABELECENDO NORMAS PARA A ESCOLHA E PARTICIPAÇÃO DE PALESTRANTES CONVIDADOS. DR.SERGIO PONTES MANIFESTOU-SE NO SENTIDO DE QUE A COMISSÃO TENHA UMA ATIVIDADE MAIS AMPLA, COORDENANDO JUNTO A PRESIDÊNCIA, TODAS AS ATIVIDADES DO DEPARTAMENTO COMO PUBLICAÇÕES, VIDEOS, ETC… FOI ENTÃO COLOCADO EM VOTAÇÃO O ESTABELECIMENTO DE NORMAS E ATRIBUIÇÕES COMISSÕES CIENTÍFICAS PERMANENTE, RESALTANDO QUE SUA ATITUDE DEVERIA SER DE COLABORAR E NÃO ORIENTAR, DEVENDO-SE PORTANTO, SUBSTITUIR AS PALAVRAS NO ENTANTO. ESTA PROPOSTA VENCEU POR 32 VOTOS A FAVOR, TENDO HAVIDO 23 VOTOS CONTRÁRIOS A ELA. DR. LUÍS FERNANDO SANTANA OPINOU PARA QUE AS NORMAS FOSSEM ESTABELECIDAS PARA SEREM VOTADAS E REPRESENTADAS NO PRÓXIMO CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA, EM SÃO PAULO.O SEGUNDO ITEM VOTADO FOI A PROPOSTA DE AMPLIAÇÃO DAS FUNÇÕES DA COMISSÃO DE HABILITAÇÃO, COM O OBJETIVO DE SE ESTABELECER NORMAS PARA A REVALIDAÇÃO DO TÍUTULO DE ESPECIALISTA EM ECOCARDIOGRAFIA. DR. DJAIR BRINDEIRO SUGERIU, DEVIDO A EXTENSÃO DA PAUTA, QUE TODAS AS PROPOSTAS RELACIONADAS A ESTE TEMA, FOSSEM ENVIADAS PELO CORREIO PARA O DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA, PARA QUE FOSSEM VOTADAS EM ASSEMBLÉIAS NO PRÓXIMO CONGRESSO DO DEPARTAMENTO. AINDA DENTRO DO TEMA APRESENTADO DISCUTIU-SE A POSSIBILIDADE DE QUE A PROVA ESPECIALISTA EM ULTRA-SONOGRAFIA VASCULAR PARA ECOCARDIOGRAFISTA FOSSE A MESMA RALIZADA PELA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E CIRURGIAS VASCULARES, PORÉM, DURANTE O CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA. COM RELAÇÃO A ESTE ASSUNTO, DR. ALVARO VILLELA DE MORAES DISSE QUE HAVIA ENTRADO EM CONTATO COM A SOCIEDADE BRASILEIRA DE ANGIOLOGIA E CIRURGIA VASCULAR E QUE HAVIA ENUSTRADO RECEPTIVAMENTE COM RELAÇÃO À PROPOSTA. APÓS COLOCADA EM VOTAÇÃO, ESTA PROPOSTA FOI APROVADA POR UNANIMIDADE.O TERCEIRO ITEM VOTADO FOI REFERENTE AO AUMENTO DO VALOR DAS ANUIDADES. ESTE VALOR ENGLOBARIA A ANUIDADE E A INSCRIÇÃO PARA O CONGRESSO DO DEPARTAMENTO E PARA AS DEMAIS ATIVIDADES CIENTÍFICAS. HAVERIAM DESCONTOS PROGRESSIVOS DE ACORDO COM A DATA ESCOLHIDA PELO ASSOCIADO PARA PAGAMENTO. DR. RODRIGO B. DE MATTOS BARRETO OPINOU QUE TAL PROPOSTADA LIBERDADE DOS SÓCIOS, OBRIGANDO-OS A PAGAR POR UMA ATIVIDADE QUE EVENTUALMENTE NÃO IRIAM COMPARECER. DR. JORGE TORREÃO PROPOS A MANUTENÇÃO DO PAGAMENTO DA INSCRIÇÃO EM SEPARADO DA ANUIDADE. DR. WILSON MATHIAS SUGERIU QUE CASO A PROPOSTA FOSSE ACEITA, QUE FOSSE DEFINIDO PRIMEIRAMENTE O PERCENTUAL DO MONTANTE DESTINADO AO CONGRESSO DO DEPARTAMENTO. COLOCADA EM VOTAÇÃO A PROPOSTA FOI DERROTADA PELA MAIORIA DOS PRESENTES.A SEGUIR, DR. ALVARO VILLELA DE MORAES ENCERROU A ASSEMBLÉIA EXTRAORDINÁRIA E INICIOU A ASSEMBLÉIA ORDINÁRIA. COMO PRIMEIRA PAUTA DE VOTAÇÃO PROPÓS QUE A POLITI TURISMO FOSSE ACEITA COMO MEMBRO “COBRE” DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA PELO PERÍODO DE TRÊS ANOS, DE ACORDO COM O REGIMENTO ESTATUTÁRIO. DR. ROBERTO PEREIRA, PRESIDENTE DO CONGRESSO ATUAL OPINOU QUE A ESCOLHA DA POLITI COMO AGÊNCIA OFICIAL DO CONGRESSO NÃO HAVIA SIDO SUFICIENTEMENTE DISCUTIDA COM ELE E QUE ESTA ATITUDE HAVIA GERADO ALGUMAS DIFICULDADES DURANTE A ORGANIZAÇÃO DO CONGRESSO. DR. SERGIO PONTES SUGERIU A POSSIBILIDADE DE HAVER DESENTENDIMENTO ENTRE A POLITI E OUTRA AGÊNCIA QUE PODERÁ SER ESCOLHIDA COMO A OFICIAL DO PRÓXIMO CONGRESSO. DR. ALVARO VILLELA DE MORAES CONSIDEROU IMPOSSÍVEL TAL POSSIBILIDADE, SENDO QUE A POLITI DEVERÁ TER OS DEVERES E PRIVILÉIOS ESTABELICIDOS PELO ESTATUTO PARA MEMBROS ASSOCIADOS.COLOCADA EM VOTAÇÃO A PROPOSTA VENCEU POR 31 VOTOS A FAVOR E 24 CONTRA. FINALMENTE FORAM VOTADOS OS NOVOS MEMBROS DO CONSELHO DELIBERATIVO E A NOVA DIRETORIA DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA.A ÚNICA CHAPA CONCORRENTE FOI ACLAMADA POR UNANIMIDADE. DR. ALVARO VILLELA DE MORAES DEU POSSE A NOVA DIRETORIA, TENDO CONVIDADO SEUS PARTICIPANTES PARA ASSUMIREM OS TRABALHOS A PARTIR DE ENTÃO,DR. SERGIO CUNHA PONTES JR.DR. DJAIR ASSUMIU O CARGO DE PRESIDENTE DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA CONVOCANDO A NOVA DIRETORIA:VICE-PRESIDENTE DRA. MÁRCIA DE MELO BARBOSA;
SECRETÁRIA DRA. PAULA PIMENTEL DE ARAÚJO;
TESOUREIRO DR. JOSÉ MARIA DEL CASTILLO;
EDITOR DA REVISTA DE ECO DR. ALVARO VILLELA DE MORAES.A SEGUIR DR. DJAIR BRINDEIRO DISCURSA, DANDO ÊNFASE AO PONTO: “O DEPARTAMENTO É DOS SÓCIOS”. A SEGUIR FOI COLOCADA EM PAUTA A ELEIÇÃO DO LOCAL E PRESIDENTE DO CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA, DO ANO DE 2002. DR. CARLOS EDUARDO SUAIDE COMENTOU QUE O CONGRESSO MUNDIAL DE ECOCARDIOGRAFIA, REALIZADO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, NO ANO DE 1998, QUEBROU A SEQÜÊNCIA DE CONGRESSO NO EIXO E FORA DO EIXO, RIO DE JANEIRO – SÃO PAULO – BELO HORIZONTE, DE FORMA QUE A ELEIÇÃO PARA A PRESIDÊNCIA DO DEPARTAMENTO ESTÁ SENDO FEITA FORA DO EIXO. PROPÔS O RETORNO DA ELEIÇÃO PARA O EIXO RIO DE JANEIRO- SÃO PAULO- BELO HORIZONTE. PARA TAL PROPÔS QUE O CONGRESSO DO ANO 2002 SEJA REALIZADO NO EIXO E NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. DRA. MÁRCIA BARBOSA PROPÔS A ANTECIPAÇÃO DAS ELEIÇÕES DA NOVA DIRETORIA DE 1 (UM) ANO, EM 2001, DE FORMA QUE O PRESIDENTE ELEITO ACOMPANHE OS TRABALHOS DA ATUAL DIRETORIA ATÉ ASSUMIR O CARGO EM 2002, NO CONGRESSO A SER REALIZADO NA CIDADE DE SÃO PAULO. DR. ALVARO VILLELA DE MORAES E DR. FERNANDO MORCEF PROPUSERAM A CIDADE DO RIO DE JANEIRO PARA SEDE DO CONGRESSO DO ANO DE 2002. TAMBÉM FOI PROPOSTA A CIDADE DE FORTALEZA PARA SEDE DO CONGRESSO. POSTA EM VOTAÇÃO, FOI ELEITA POR MAIORIA A CIDADE DO RIO DE JANEIRO PARA SEDE DO CONGRESSO DE ECOCARDIOGRAFIA PARA O ANO DE 2002. DR. ELOY FILHO SE PRONUNCIOU A FAVOR DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO COMO SEDE DO CONGRESSO. DR. FERNANDO MORCEF PROPÔS O NOME DO DR. CAIO J.DE MEDEIROS PARA PRESIDENTE DO CONGRESSO DO ANO DE 2002. DR. JORGE TORREÃO, DR. ROGERIO TASCA, DR. WILSON MATHIAS E DR. ALFONSO BARBATO APOIARAM O DR. LUCIANO BELÉM QUANDO O PROPUSERAM PARA PRESIDENTE DO CONGRESSO. POSTO EM VOTAÇÃO O DR. CAIO MEDEIROS RECEBEU 28 VOTOS CONTRA 19 A FAVOR DO DR. LUCIANO BELÉM; DR. CAIO MEDEIROS VENCEU, SENDO APROVADO COMO PRESIDENTE DO CONGRESSO DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DO ANO DE 2002 A SER REALIZADO NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO. A ASSEMBLÉIA FOI ABERTA PARA DISCUSSÃO DE ASSUNTOS GERAIS. NÃO HAVENDO NENHUM ASSUNTO GERAL A SER DISCUTIDO A ASSEMBLÉIA FOI ENCERRADA. A ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA DO DEPARTAMENTO DE ECOCARDIOGRAFIA DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA FOI ENCERRADA ÀS 21:30 HORAS DO DIA 27 DE ABRIL DE 2000. DRA. PAULA PIMENTEL – SECRETÁRIA EM EXERCÍCIO.